08/08/2019 às 07h01 |

Festival Samba Reggae com Tonho Matéria e vozes femininas

 

 Até o dia 18 de agosto, a comunidade capoeirista baiana estará reunida para debater e promover o exercício da cidadania através das ações socioculturais que contribuam para o incremento da igualdade racial e combate ao racismo, discriminação racial e intolerância religiosa.  Além de Salvador, as ações se estenderão por Camaçari e Simões Filho.


    O evento, promovido pela a Associação Sociocultural e de Capoeira Bloco Carnavalesco Afro Mangangá, foi aberto durante uma oficina sobre “Capoeira:  Emprego e Renda, Enfrentamento das Questões Raciais no Mercado de Trabalho, que aconteceu na sede da Associação de Capoeira Engenho, em Vila de Abrantes, em Camaçari.


    Tendo o cantor, compositor e Mestre, Tonho Matéria,  a frente das discussões e ações, a edição do evento faz parte do projeto “Capoeira – Símbolo de Resistência, Inclusão e Integração - Oficinas de Capacitação, Orientação e Informação no Combate ao Racismo e toda forma de discriminação”, aprovado no edital Bahia Década Afrodescendente Ediçãoq/2019,  realizado pela Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi), e visa a valorização do movimento capoeirista.


    “Queremos estender os trabalhos das  oficinas sobre Emprego e Renda, apresentada em Camaçari, para os bairros de Pau Mudo, Nordeste de Amaralina, Barbalho, Nova Brasília, Caixa D’Água e Nazaré. O que pretendemos é abordar o empreendedorismo de negros e mulheres como uma ação criativa e inovadora de construção da autonomia econômica e financeira, de geração de renda, a partir do trabalho dos Mestres de Capoeira”, disse Tonho.

Confira a programação:

Com o TEMA: MULHERES DO MUNDO, VIDA, LUTA E RESISTÊNCIA - A invisibilidade das mulheres na Revolta dos Búzios e nos espaços de poder da Capoeira”, com o seguinte programa:


•    Dia 07, no Centro Social Urbano – CSU do Nordeste de Amaralina, a partir das 08h, acontecerá a segunda oficina que tem como tema: CAPOEIRA INCLUSÃO: BENEFÍCIO DE PRESTAÇÃO CONTINUADA E A REDUÇÃO DA EXTREMA POBREZA.


•    Também no dia 07, na sede da Mangangá no bairro de Pau Miúdo a partir das 18h, discussão e debate com o tema: “MULHERES DO MUNDO, VIDA, LUTA E RESISTÊNCIA - A invisibilidade das mulheres na Revolta dos Búzios e nos espaços de poder da Capoeira”.
Esta temática também será discutida no dia 08, às 18h,no Espaço Cultural da academia JB Fitness, no Bairro Nova Brasília.
•    Dia 9, às 18h, Noite de Gala da Capoeira, no Forte da Capoeira, no Forte Santo Antônio (Além do Carmo)
•    Dia 10, entre 8h e 18h, Oficinas de Formação e Informação, no Forte da Capoeira.


•    Dia 10, às 19h, Festival Samba Reggae, na Praça Tereza Batista. Tonho Matéria e convidados.
•    Ainda no dia 10, no Forte da Capoeira, entre 08h e 18h, mutirão de oficinas de ginástica, aula de zumba, dança afro, percussão, maculelê, puxada de rede, samba de roda, teatro, turbantes, trançado afro, pintura em telha de cerâmica, vivencia de capoeira; palestras, cursos de primeiros socorros e Exposição Fotográfica.


•    Dia 11, a partir das 8h, acontece o 18°󠅰 Encontro Cultural e Intercâmbio Internacional de Capoeira Mangangá, no Teatro da Escola Parque, Caixa D’água.
•    Dia 14, na Escola Parque, na Rua Saldanha Marinho, no bairro de Caixa D’água a abordagem informativa remete-se as conquistas e desafios do ESTATUTO DA IGUALDADE RACIAL E DO COMBATE À INTOLERÂNCIA RELIGIOSA do estado da Bahia, com o tema: RACISMO OU INJÚRIA RACIAL – UM RECONHECIMENTO DE DIREITOS se abordará os avanços nos direitos das pessoas de religiões de matriz africana e a questão das cotas em concursos públicos, além de explicar sobre as formas de empreendimento e financiamento público.


•    Dia 15, no Colégio Severino Vieira no bairro de Nazaré, já finalizando a etapa de aulas teóricas, que compõem as oficinas de capacitação e informação, apresentar – se – a o tema “CAPOEIRA NO ECO DA REVOLTA DOS BÚZIOS”.
•    Dias 16, 17  e 18, na sede da Mangangá, na Rua Professor Soeiro 58, acontecerá a Oficina de Corte e Costura a partir das 8h.
•    Dia 17, a partir das 8h, no espaço Cidade da Criança, em Simões Filho, grande mutirão de oficina encabeçado pela Dança Afro e outras formas de expressão corporais.


Jil Evans

Comentários

ATENÇÃO !

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião desta página, se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Mais de Música